Por que é tão difícil Mudar?

Texto

Texto

O que são hábitos

Segundo o Dicionário Michaelis, hábito é a Inclinação por alguma ação, ou disposição de agir constantemente de certo modo, adquirida pela frequente repetição de um ato, Forma habitual de ser ou de agir, Procedimento repetido que conduz a uma prática.

Clear (2019) define hábito como uma rotina ou prática executada regularmente em resposta automática para uma situação específica, mês hábitos pequenos, quando executados com consistência e ao longo prazo, são capazes de trazer grandes resultados. Segundo o autor, "os hábitos são os juros com postos do desenvolvimento pessoal".

"Os hábitos são os juros compostos do desenvolvimento pessoal."

James Clear

SCHULTZ (apud TANG, 2018) define hábitos como sendo uma sequência deações aprendidas depois de muita repetição, até que passam a ser executadas como mínimo de esforço mental".

“Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito”

Will Durant

Quando algum comportamento se repete, o cérebro cria vias sinápticas mais rápidas de maneira que uma ação aciona a ação seguinte, de forma quase automática. Quando queremos adotar um novo hábito ou abandonar um velho, o mesmo processo vai ocorrer. No início o cérebro vai ser acionado integralmente, mas após umperíodo de repetição ele vai assimilar essa nova rotina como padrão e fazerdela uma resposta automática. Tudo que você precisa fazer é ultrapassar o período de novidade e aguardar até que o cérebro passe a atuar no automático em relação a esse estímulo.

Outra forma de explicar os Hábitos é através do nosso sistema de decisão com base em KAHNEMAN (2012), tomamos decisões atodo instante, das mais simples e rotineiras, como se aquecer ao sentir frio, até aquelas que exigem mais reflexão e tempo, como escolher uma aplicação financeira ou resolver uma equação matemática complexa e desgastante. Mas nem sempre essas escolhas nos guiam a caminhos esperados. Por diversas vezes e deforma inconsciente, caímos em pegadinhas, cometemos equívocos e fazemos pré-julgamentos. Sobre isso, a ciência tem uma explicação: os seres humanos tendem a não ser racionais por completo, por muitas vezes economizando tempo eenergia em tomadas de decisões.

Os hábitos são os condutores internos do cérebro, devocê quer mudar um mau hábito ou comportamento substitua-os. Estudos mostramque dizer apenas dizer que “Nunca mais faço isso” torna ainda mais provável que você volte a fazer. DUHIGG (2012) diz que a pesquisa é clara: não é impossível eliminar os maus hábitos, porém é mais fácil substituí-los. Deseja se alimentar melhor? Quando o gatilho disparar, tente substituir por chicletes sem açúcar. Ogatilho permanece o mesmo, o que está fazendo é substituir o mau comportamento por um melhor. Se mantermos o gatilho trocando a recompensa, um novo hábito pode ser instituído em seu lugar. Aprender a identificar o que causa o mau comportamento e então fazer a mudança é uma forma de ser efetivo no processo. Entenderesse processo de substituição e auxiliar na troca é papel do facilitador, a este caberá orientar o mentorado a identificar o gatilho, entender a recompensa para que então saiba em qual hábito atuar.

HAMPTON (2015) explica que quando você tenta adotar umnovo comportamento pela primeira vez, é preciso preparar seu córtex pré-frontal, o cérebro pensante, e inserir oesforço consciente, a intenção e o pensamento no processo. Na metodologia MDC28 isso é feito desde o início, sendo reforçado ao longo de todo o processo através da SRS (Repetição espaçada).

Hampton acredita quequando executamos novas rotinas o suficiente para que as sinapses sejam feitase fortalecidas em seu cérebro, cada vez o comportamento exigirá menos esforço, pois se torna o cada vez mais automático.”  

Kahneman junto com otambém psicólogo Tversky, usaram teorias das ciências cognitivas para concluir como a motivação e ocomportamento influenciam a Economia. Alguns dos resultados estão no livro “Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar”. Na obra, Kahneman mostra ofuncionamento do cérebro a partir de dois sistemas: o Sistema 1 atua de maneira automática e involuntária. É também inconsciente e não pode ser desligado. Já osistema 2 contempla o pensamento devagar, ativado para raciocinar, analisar eresolver problemas. O sistema lento confirma ou corrige o sistema 1, sendo maisconfiável, mas necessitando de mais tempo, esforço e concentração. Dessa forma poderíamos considerar que os nossos hábitos e comportamentos estariam ligados ao Sistema 1, dados que estes também atuam de forma automática e involuntária.

Quando falamos que os hábitos estão presentes em nosso cérebro, podemos ser mais específicos dizendo com estudos apontam que os nossos hábitos, bem como outros comportamentos cognitivos e emocionais, que têm papeis importantes na recompensa e reforço, nos comportamentos aditivos ficam nos gânglios basais. Esse grupo de estruturasregulam a iniciação de movimentos, equilíbrio, movimentos oculares e postura. Estas estruturas estão fortemente conectadas a outras áreas motoras no cérebroe ligadas ao tálamo através do córtex motor.

Otermo “gânglios da base” é utilizado para designar um grupo de núcleos desubstância cinzenta localizados na região profunda do encéfalo, ou mais especificamente, na região subcortical-basal do encéfalo. O tempo e o avanço no conhecimento confirmaram que uma das principais funções dos “gânglios da base” seria participar do controle da motricidade, mas também revelaram que essesistema também participaria ativamente do controle de funções cognitivas e comportamentais.

Basicamente, os núcleos da base recebem informações o córtex cerebral, integram e processam esses impulsos eprojetam-nos para o tálamo, que os retransmite para áreas específicas do córtexcerebral. Isso afeta os comportamentos motores, emocionais e cognitivos.

Os núcleos da base se dividem em:

a)    Globo pálido

b)    Putâmen

c)    Núcleo subtalâmico

d)    Substância negra -constituída de parte reticular e compacta

e)    Núcleo caudado = funçãoprimaria cognitiva e não motora

São atribuidos aos ganglios basais as seguintes funçõescerebrais:

a)    Regulação de movimentos

b)    Aprendizagem de novas capacidades

c)    Formação de hábitos

d)    Sistemas de recompensa

Portanto, fisiológica podemos dizer que os nossos hábitos são controlados pelo Gânglios da Base, em sua sub estrutura o núcleo caudado responsável pelas funções primarias cognitivas.

Segundo CRISTO e GÜNTHER. Os hábitos dão mais segurança por sentirmos em um terreno conhecido. O hábito é a repetição de um ato que se torna regra. E é isso que significa um hábito, interiorizar uma ação de forma natural até o ponto de tornar-se uma atitude espontânea. Os hábitos são automáticos, não precisamos parar e pensar para realizá-los. Essa interiorização estabelece grande esforço porque implica uma mudança de comportamento.

PROCTOR (2018) defineos Hábitos como consequências que aprendemos após inúmeras repetições. Para eleo cérebro evolui com uma finalidade de economizar energia. Com base nessapremissa PROCTOR desenvolveuuma rotina para ajudar a desenvolver bons hábitos:

·        Levante-se 2 horas mais cedo antes de sair de casa;

·        Investir na sua mente. Ler algo motivador;

·        Ouça programas acrescente em termos de educação (nutra seu cérebro)

·        Escreva objetivo no presente do indicativo: Eu vou, eu quero;

·        Planejar os objetivos com prioridades;

·        Dedique se a concluir as tarefas, foque em uma tarefa até ser concluída,o prazer de concluir gera endorfina, e você entra em um fluxo (flow);

·        Mova se com senso se urgência

Existemhábitos positivos e negativos. Há hábitos que não são sadios, como por exemplo, o sedentarismo e comer muitos doces. Em compensação, existem outros hábitos quesão positivos como praticar esportes, ter horários determinados, passear, descansaretc.

Tantoos hábitos positivos como os negativos mostram que as pessoas têm capacidade dedesaprender certos hábitos para obter outros, mas que nunca se adquire umhábito por realizar uma ação uma única vez. É importante realizar uma ação sem interrupções, ao menos, durante um mês inteiro.

DUHIGG  (2012) considera que são necessários 21 dias de repetição de uma ação para que setorne um hábito. Claro que existe a individualidade de cada um que pode levar auma variação onde é evidenciado que a partir de 18 dias consegue-se mudar um hábito, mas pode variar dependendo da pessoa, do comportamento e circunstâncias, sendo que o tempo médio foi de 60 dias para um comportamento se tornar automático. Com base nessa ideia uma pessoa que se propõe a frequentar uma academia três vezes por semana, não desenvolve esse hábito até que esta práticase consolide por um período de 21 dias. Com base nesta dissertação acredita mosque 28 dias seja um número mais adequado.

Há dois grandes inimigos na aquisição de um hábito: a preguiça e a procrastinação. A preguiça é o desejo de ceder diante de um prazer imediato. Assim experimenta  quem não acorda com o despertador tocando e prefere dormir por mais tempo. A procrastinação mostra a capacidade de uma pessoa em deixar tudo para amanhã.

“A gente não se liberta de um hábito atirando-o pela janela: é precisofazê-lo descer a escada, degrau por degrau”

Mark Twain

 

Para desenvolver um novo hábito é essencial ter um objetivo claro, como também ter disciplina e motivação intrínseca para cumprir um determinado programa de ação. Existe uma área que se nota de maneira especial a importância de um hábito: otrabalho. No campo profissional, qualquer trabalhador cumpre sua jornada porcriar um hábito pré-determinado. Um processo de coaching é especialmente eficaz para construir um hábito.

Os hábitos [...] surgem porque o cérebro está o tempo todo procurandomaneiras de poupar esforço. (Charles Duhigg, 2012)

 Deacordo com DUHIGG (2012), pequenasações rotineiras, sejam elas negativas ou positivas, podem impactar diretamentenosso cotidiano. Podem tanto prejudicar nosso desempenho, quanto alavancarnossos resultados. O autor conclui no seu livro o Poder do Hábito, após centenas de entrevistas do porquê algumas pessoas têm tanta dificuldade em mudar e enquanto outras o fazem com mais facilidade. A chave é que: Elestiveram êxito transformando hábitos. Todos começam com um padrão psicológico. Primeiro, há uma sugestão, ou gatilho, que diz ao seu cérebro para entrar em modo automático e desdobrar um comportamento. Depois, há a rotina, que é o comportamento em si. Para alterar um hábito, é preciso modificar os padrões que moldam cada aspecto de nossas vidas. Entendendo isso, você ganha a liberdade ea responsabilidade para começar a trabalhar e refazê-los.

“É mais fácil vencer um mau hábito hoje do que amanhã”

Confúcio

 

CLEAR (2018) em seulivro Hábitos Atômicos divide o Hábito em 4 partes:

a)    Gatilho - Algo que te desperta seu interesse por alguma recompensa imediata.

a)    Anseio - A força motivacional por trás do hábito

b)    Rotina - Essa é a ação que você faz, o hábito em si.

c)    Recompensa - O objetivo final de todo hábito

                               

CLEAR (2019) ainda trata dos hábitos mestres, estes que são base para outros hábitos. Por exemplo:

a)    Exercitar

b)    Meditar

c)    Ler / Estudar

d)    Dormir e Acordar Cedo

e)    Organização / Planejamento

f)    Experimente coisas diferentes

Siglas

SRS   -  Sistema de Repetição Espaçada (Spaced Repetition System)

Hábitos